Filhos

14/10/2008

Saiu um poema meu, que transcrevo logo abaixo, no Conexão, órgão de comunicação interna do Sesc-RS. É minha homenagem ao Dia da Criança, nas pessoas de nossos filhos, que por mais crescidos que estejam, serão sempre “nossas crianças”.

Teus Filhos

Teus filhos te acrescentam outras vidas

Além daquela única que vives.

Cabe a ti cercá-los de guaridas

Sem no entanto impedi-los de ser livres.

 

Não faze de teus filhos tua posse

Pois que são eles, muito mais, filhos do mundo.

Não que não devas te inquietar a cada tosse

Pois que atento há que estar cada segundo.

 

E quando enfim te derem ordem de partida

E nasça em ti uma certeza de mais nada

Repousa os olhos em teu filho adormecido.

 

Nele verás todo o tamanho de tua vida.

Tu sentirás que ela foi nele prolongada

E viverás bem mais além do permitido.

 

Descubro, por um email da Simone, da Nova Prova, que o lançamento do 104 que contam vai acontecer numa terça-feira, dia 21 deste mês de outubro, no Memorial do RGS, às 19:30 horas. Vai nele um conto meu, na minha terceira participação na série 100 e tantos que contam. Mesmo sabendo da crítica aos critérios de seleção, por não serem rígidos, o que poderia resultar – mas não necessariamente resulta – em perda de qualidade, ainda assim mexe com a vaidade e o ego ter o nome, mais uma vez, em letra de forma e capa de livro.