Trecho de entrevista de Charles Kiefer, concedida em 29 de outubro passado. O destaque em negrito na resposta é meu. Para ler a íntegra da entrevista, clique aqui.

 

O que se espera com a publicação de coletâneas como “104 que contam”  

 

Charles Kiefer – Eu acho que a idéia dos 101, 102, 103 e 104 que contam é absolutamente generosa. Tem que ser meu aluno para entrar no livro e eu somente pergunto se ele quer mostrar o texto dele, esteja bom ou não. É democrático e aberto, para possibilitar que todos possam publicar. É lógico que só faço isso nessa coletânea, nas antologias tudo é trabalhado pacientemente. A última antologia que publicamos, que foi feita pela Editora Nova Prova, chamada de Inventário das Delicadezas, é um livro muito bom, uma das melhores antologias já publicadas no RS. E isso tem diferença, uma coisa é antologia geral onde o que vale é a vontade do novo autor em publicar e outra coisa é uma seleção para fazer uma boa antologia. Acho que esse é um processo, começamos publicando algumas coisas e depois chegamos à obra prima. O que não impede que dentro de uma obra de mais de 100 contos tenha muita coisa boa. A seleção dos 104 que contam foi um pouco mais rigorosa porque ela conta somente com alunos antigos meus, não são só novatos.