Política

20/10/2008

Não, não pretendo fazer propaganda político-partidária. Não foi pra isso que criei o blog. Mas certamente não posso ficar à margem do processo eleitoral que culmina no próximo domingo, com o segundo turno das eleições municipais. Afinal, somos todos animais políticos. Ou será que não nos interessa quem vai gastar os impostos que pagamos? Se você concorda que a resposta à esta pergunta é afirmativa, vote. No melhor, se puder distingui-lo entre os dois candidatos. No menos pior, se o seu desencanto não lhe permite melhor avaliação de nenhum deles. Mas vote.

Dia do Professor

15/10/2008

Homenageio os professores, no seu dia, na figura de alguns que marcaram minha vida escolar e pessoal. Impossível esquecer: professora Élia, minha professora do 5º ano primário – sim, eu sou desta época – do Grupo Escolar Daltro Filho, que me preparou, com competência, para os passos seguintes de minha trajetória discente. Do Colégio de Aplicação: professora Elita Copstein, de História, que ensinava, mais do que a sucessão de datas, a grandeza dos vultos e a importância dos eventos, o respeito às individualidades e características, que acabam por escrever, para o bem ou para o mal, a própria história dos povos; professora Maria Anita, de Artes, que deixou marcada, em cada um dos seus alunos, a importância do pensar e criar por si, não pela perseguição ao modismo, mesmo que mais cômodo fosse; professora Lia Luft, a quem agradeço hoje o respeito e apreço que tenho pela língua portuguesa; professor Carlos Appel, de Literatura, que soube incentivar, mesmo que ele não soubesse disso, o amor pela leitura que herdei de meu pai; professor Jaime, o Peixinho, de Educação Física, adepto da disciplina, que não só ensinava como praticava, e tantos outros que a memória já não alcança, mas que certamente marcaram minha adolescência.

Não seria justo deixar de citar o amigo e mestre, Charles Kiefer, meu professor de oficina de literatura, incentivador da leitura e da escrita, e por cujas mãos vi meu nome estampado em letra de forma e capa de livro.

E finalmente, meu beijo especial à professora com quem casei, Maria Helena, que vem, ao longo de mais de 35 anos, tentando, às vezes inutilmente, mas com o empenho e o amor que dedica a todos os seus alunos – e sou testemunha disso – fazer com que eu me gradue como gente. Árdua tarefa, reconheço.

E lá vamos nós

14/10/2008

Capa do 104 que contam, do qual eu participo. Dia 21/10, lançamento no Memorial do RGS, às 19 horas e dia 08/11, sessão de autógrafos da Feira do Livro, também no Memorial, às 20 horas.

Filhos

14/10/2008

Saiu um poema meu, que transcrevo logo abaixo, no Conexão, órgão de comunicação interna do Sesc-RS. É minha homenagem ao Dia da Criança, nas pessoas de nossos filhos, que por mais crescidos que estejam, serão sempre “nossas crianças”.

Teus Filhos

Teus filhos te acrescentam outras vidas

Além daquela única que vives.

Cabe a ti cercá-los de guaridas

Sem no entanto impedi-los de ser livres.

 

Não faze de teus filhos tua posse

Pois que são eles, muito mais, filhos do mundo.

Não que não devas te inquietar a cada tosse

Pois que atento há que estar cada segundo.

 

E quando enfim te derem ordem de partida

E nasça em ti uma certeza de mais nada

Repousa os olhos em teu filho adormecido.

 

Nele verás todo o tamanho de tua vida.

Tu sentirás que ela foi nele prolongada

E viverás bem mais além do permitido.

 

Descubro, por um email da Simone, da Nova Prova, que o lançamento do 104 que contam vai acontecer numa terça-feira, dia 21 deste mês de outubro, no Memorial do RGS, às 19:30 horas. Vai nele um conto meu, na minha terceira participação na série 100 e tantos que contam. Mesmo sabendo da crítica aos critérios de seleção, por não serem rígidos, o que poderia resultar – mas não necessariamente resulta – em perda de qualidade, ainda assim mexe com a vaidade e o ego ter o nome, mais uma vez, em letra de forma e capa de livro.

Quadrinha

29/09/2008

Versos é o que mais faço
Nenhum me sai a contento
Dei ao lápis fino traço
Acho que falta é talento